Você é o visitante nº

contador free

sexta-feira, 20 de março de 2009

video
video

Prezados visitantes!

Acredito que a maioria de vocês conhece algo a respeito da antiga Estrada de Ferro Central do Brasil, fundada nos tempos do Império, como Estrada de Ferro Dom Pedro II, pelo próprio Imperador D. Pedro II, em 1858.
Assim nascia a Estrada de Ferro Dom Pedro II, posteriormente, Estrada de Ferro Central do Brasil, por ocasião da proclamação da República em 1889.

Os trabalhos da construção foram iniciados no dia 11 de Junho de 1855 e em menos de três anos depois, no dia 29 de Março de 1858, foi inaugurado com festividades o tráfego da estação Dom Pedro II, no Rio de Janeiro, até a Vila de Queimados. O trecho cobria 32 milhas inglesas, ou seja, 48,210 quilômetros, e abrangia cinco estações: Campo (atual Central), Engenho Novo, Cascadura, Maxambomba (atual Nova Iguaçú) e Queimados. Meses depois, no dia 8 de Novembro, foi inaugurado mais um trecho de 13 quilômetros e a ponta dos trilhos chegou a Belém (atual Japeri), na raiz da serra, de onde foi lançado o Ramal de Macacos (atual Paracambi), concluído em 1.º de Agosto de 1861.

Nesse mesmo ano, iniciaram-se os trabalhos para a subida da Serra do Mar, sendo que as duas primeiras milhas ficaram prontas justamente com aquele ramal. O trecho até Rodeio (atual Paulo de Frontin) foi terminado no dia 12 de Julho de 1863, e o Vale do Paraíba, por fim, atingido no ano seguinte, em 1864, com a chegada do primeiro trem de passageiros a Barra do Piraí - RJ, no dia 9 de Agosto.


No ano de 1895, os trilhos da Estrada de Ferro Central do Brasil, atingiram a capital de Minas Gerais, a provinciana Cidade de Minas, hoje Belo Horizonte, através de General Carneiro. Existia em General Carneiro, uma magnífica Estação Ferroviária em estilo neo clássico, de base triangular e uma torre belíssima, fundada em 1896. Dali partia o ramal de Belo Horizonte, como mostra o vídeo acima. Em 1975 esta magnífica Estação fora demolida! Um verdadeiro crime contra o patrimônio histórico e cultural. No entanto, sua memória ficará preservada neste vídeo e também no site de Ralph Mennucci Giesbretch: http://www.estacoesferroviarias.com.br

Vejam a foto no link: http://www.estacoesferroviarias.com.br/efcb_mg_linhacentro/galcarneiro.htm
Foto do acervo da Rede Ferroviária Federal Sociedade Anônima.

No ano de 1957, fora fundada a Rede Ferroviária Federal Sociedade Anônima, com o objetivo de encampar as 18 ferrovias pertencentes à União e a Central era uma dessas 18 ferrovias. Portanto, a história da EFCB está intimamente ligada à da RFFSA, uma razão mais que especial para reservar este espaço a este vídeo, que exalta as glórias da Central do Brasil nas Minas Gerais.

Esta foto é de autoria de Luiz Sérgio de Souza, editada no site: http://vfco.brazilia.jor.br/Carros/budd/81buddz1.htm

Local: Oficinas do Horto Florestal em Belo Horizonte - MG
Data: janeiro de 1990

Descrição:
Carro Dormitório cabine dupla RFFSA - SR3, do Trem Vera Cruz, da linha Belo Horizonte ao Rio de Janeiro. Este é um dos famosos carros Budd - termo que designa os carros de aço inox - atribuído à Eduard Gerard Budd, fundador das Industrais Budd nos Estados Unidos da América, de onde vieram estes carros, importados, para formar o Santa Cruz linha Rio - São Paulo e Vera Cruz, linha Rio - Belo Horizonte.

domingo, 15 de março de 2009


Esta foto é de autoria de José Emílio de Castro Horta Buzelin, editada no site: http://vfco.brazilia.jor.br/Carros/budd/81buddz1.htm

Local: Oficinas do Horto Florestal em Belo Horizonte - MG
Data: janeiro de 1990

Descrição:
Carro Dormitório cabine dupla RFFSA - SR3, do Trem Vera Cruz, da linha Belo Horizonte ao Rio de Janeiro. Este é um dos famosos carros Budd - termo que designa os carros de aço inox - atribuído à Eduard Gerard Budd, fundador das Industrais Budd nos Estados Unidos da América, de onde vieram estes carros, importados, para formar o Santa Cruz linha Rio - São Paulo e Vera Cruz, linha Rio - Belo Horizonte.

sábado, 14 de março de 2009

video

História do Trem do Pantanal
Autor: Maestro Ney (NeyTheBoss2008).

Este vídeo, produzido pelo Maestro Ney, conta a história da Estrada de Ferro Noroeste do Brasil, desde os tempos do Império, com o projeto para a sua construção, até à época da República, com o Presidente Rodrigues Alves, até sua incorporação pela Rede Ferroviária Federal Sociedade Anônima, em 1957.
Prezados visitantes!

Estes 4 vídeos que se seguem abaixo, são de autoria do Maestro Ney (NeyTheBoss2008), apresentador do Programa TV MAESTRO, em Campo Grande - MS

ASSISTAM AO MARAVILHOSO PORTAL DO MAESTRO NEY, com boas músicas, boas programações, histórias do Pantanal e também, do magnífico Trem do Pantanal da Noroeste do Brasil, através deste site: http://maestroney.orgfree.com/maestro/portalmaestro.htm
Local da gravação: Estação Ferroviária de Bauru - SP
Data: 1988

Descrição:
Fantástica composição do Trem do Pantanal com as locomotivas GE U-20-C da RFFSA e carros de aço carbono para passageiros também da Rede Ferroviária Federal Sociedade Anônima - RFFSA - Regional Bauru - SR10. Dentre esses carros, haviam magníficos Carros Dormitórios de aço carbono, que conservavam a tradição sobre trilhos. No ano de 1957, a RFFSA engloba em seu patrimônio, a antiga Estrada de Ferro Noroeste do Brasil e, no ano de 1976, é criada a Superintendência Regional Bauru - SR10. Esta é parte da história do Trem do Pantanal, contada em vídeo, para os amantes da história ferroviária!



sexta-feira, 13 de março de 2009

video

Viagem no Trem do Pantanal - parte 1
Autor: Maestro Ney

video

Viagem no Trem do Pantanal - parte 2
Autor: Maestro Ney
video

Viagem no Trem do Pantanal - parte 3
Autor: Maestro Ney
video

Viagem no Trem do Pantanal - parte 4
Autor: Maestro Ney

quinta-feira, 12 de março de 2009

Esta foto é de autor desconhecido, editada no site: http://produto.mercadolivre.com.br/MLB-90817039-_JM
Local: Pátio da Estação Central de Belo Horizonte - MG
Data: 1970

Descrição:
Antigos carros de aço carbono da E.F.Central do Brasil em sua fase co-ligada à RFFSA. A característica desses carros de aço carbono é a cor marrom levemente avermelhado, que os historiadores e ferreomodelistas chamam de vermelho óxido! Dentre esses carros, alguns pertenciam à RFFSA - 6ª Divisão Central ou, dependendo do ano, se em 1974, à RFFSA - 14ª Divisão Centro Norte, antiga linha oriunda da Central do Brasil e havia alguns raros Carros Dormitórios! A linha, Belo Horizonte a Montes Claros fazia parte da 14ª Divisão Operacional da RFFSA.

domingo, 1 de março de 2009

Esta foto é de autoria de Luiz Moraes, editada no site: http://www.estacoesferroviarias.com.br
Link da foto: http://www.estacoesferroviarias.com.br/ms_nob/corumba.htm
Local da foto: Corumbá - MS
Data: 30/12/1994

Descrição:
Carro Dormitório de aço carbono, para passageiros, da RFFSA - Regional Bauru - Antiga Noroeste do Brasil, do Trem do Pantanal. Na década de 1990, esta composição era formada, normalmente, com 14 carros de aço carbono, sendo 4 deles, carros dormitório como este da foto. O Trem saia da Estação Ferroviária de Bauru - SP, até Corumbá - MS, divisa com a Bolívia, atravessando, assim, todo o Pantanal. Daí o seu nome popular "Trem do Pantanal".